terça-feira, 28 de junho de 2011

Gincana Junina



Data: 18/06/2011
Horário:
7 horas
Local:
Quadra Poliesportiva da Escola

Acontecendo na prática
Definir uma equipe (a equipe é formada por três casais) sendo:
Equipe 1:
6º ano A, 6º ano B e 6º ano C
Equipe 2: 7º ano A e 7º ano B
Equipe 3:
8º ano A, 8º ano B e 8º ano C
Equipe 4:
9º ano A e 9º ano B

Tarefas cumpridas:
1º - Cada equipe deverá criar um nome, um grito de guerra e se apresentar com trajes característicos de Festa Junina ( 15 pontos).

Tarefas competitivas:
1º - Tarefa Social
Cada equipe deverá adquirir o maior número de sabonetes para serem doados a Casa de Apoio a Criança com Câncer e ao Abrigo Amantino Câmara (ganhará 10 pontos a equipe que trouxer a maior quantidade de sabonetes).

2º - Mala Caipira
Cada equipe deverá organizar e trazer uma mala contendo a maior quantidade de objetos variados (10 pontos).

3º Casal Forrozeiro
Cada equipe deverá apresentar um casal de alunos da escola para dançar um forró, vence o casal que dançar melhor (a música e o CD são de responsabilidade da equipe – 10 pontos).

4º Conhecimento Junino
Cada equipe receberá um texto sobre festas juninas e responderá 5 perguntas apresentadas pela comissão julgadora (25 pontos).

Tarefas Psicomotoras (30 pontos)
• Corrida do casal
• Corrido do ovo na colher
• Bigode do caipira
• Dança da laranja
• Pesca da maçã
• Dança da cadeira


EQUIPES

Série:
6ºs Anos (A/B e C)

Equipe:
Pegando Fogo
Representantes: Joseilson, Sara, Pablo, Mariana, Marisa, Layana.
Grito de guerra:
Âo, ao, ao! Nosso fogo é tentação!
Ão, ao,ao! Acuda, São João!


Série: 7ºs Anos (A e B)

Equipe:
Xique – Xique
Representantes:
Geovani, Roberta, Marília, Emanoel, Lorick, Thasia
Grito:
Ô, Ô, rei, eô, alô,galera, o Xique-Xique já chegou!
É xique, é xique, xique, xique,
É xique, é xique, equipe xique, xique,
Ninguém rir, ninguém chora,
Xique –Xique chegou agora.


Série: 8ºs Anos ( A/B e C)

Equipe:
Suvaco Suado
Representantes: Fernando, Priscilla, Tallisson Diego, Thamires, Luanda, Calleb.
Grito:
A – Suvaco Suado vai ganhar,
E – vamos ver como é que é,
I – só não pode desistir,
O – nós somos o melhor,
U – o resto da turma vai tomar:
todinho gelado que é bom pra derrotado,
sopinha quentinha que é bom pra bobaquinha.


Série: 9ºs Anos

Equipe:
Cangaceiros
Representantes:
Tallisson Davi, Ana Raquel, Reinaldo, Pabrício, Islany, Marina.
Grito:
Na parada vamos agitar
Aqui nessa gincana tá botando pra quebrar
Temos garra, harmonia,força e união
São os necessários pra ganhar a competição
Respeito, esforço também são necessários
Aqueles que não têm, fazem ao contrário
Vem sentir a pressão
Quem não fizer direito
O 9º ano é campeão!



O Amor Está no Ar...

Uma Homenagem ao Dia dos Namorados




AS NUANCES DO AMOR

Apresentação: O que é o amor?

Segundo o dicionário Aurélio, a palavra AMOR vem do latim “amore” que significa “sentimento que predispõe alguém a desejar o bem de outrem”.
O amor apresenta-se de várias formas. São muitas as nuances do amor. Existe o amor paixão, o amor platônico, o amor divino, o amor materno, paterno, filial e o amor amizade, entre outros.

Na Bíblia, Coríntios 13.1, encontramos a mais perfeita revelação do que é o amor.
“Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o bronze que soa ou como o címbalo que retine. Ainda que eu tenha o dom de profetizar e conheça todos os mistérios e toda a ciência; ainda que eu tenha tamanha fé, a ponto de transportar montes, se não tiver amor, nada serei. E ainda que eu distribua todos os meus bens entre os pobres e ainda que entregue o meu próprio corpo para ser queimado, se não tiver amor, nada disso me aproveitará. O amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais acaba; mas, havendo profecias, desaparecerão; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, passará; Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor.”

Essa mesma mensagem é retratada na canção Monte Castelo de Renato Russo. Escutemos esta melodia ao som da Banda composta pelos alunos do Duarte Filho.


MÚSICA: MONTE CASTELO
POESIA: AMAR – CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE
Que pode uma criatura senão,
entre criaturas, amar?
amar e esquecer,
amar e malamar,
amar, desamar, amar?
sempre, e até de olhos vidrados, amar?

Que pode, pergunto, o ser amoroso,
sozinho, em rotação universal, senão
rodar também, e amar?
amar o que o mar traz à praia,
o que ele sepulta, e o que, na brisa marinha,
é sal, ou precisão de amor, ou simples ânsia?

Amar solenemente as palmas do deserto,
o que é entrega ou adoração expectante,
e amar o inóspito, o cru,
um vaso sem flor, um chão de ferro,
e o peito inerte, e a rua vista em sonho,
e uma ave de rapina.

Este o nosso destino: amor sem conta,
distribuido pelas coisas pérfidas ou nulas,
doação ilimitada a uma completa ingratidão,
e na concha vazia do amor a procura medrosa,
paciente, de mais e mais amor.

Amar a nossa falta mesma de amor, e na secura nossa
amar a água implícita, e o beijo tácito, e a sede infinita.



MÚSICA – VOCÊ NÃO SABE O QUE É AMAR – LUAN SANTANA
POESIA: TOADA DO AMOR – CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE
E o amor sempre nessa toada:
briga perdoa perdoa briga.

Não se deve xingar a vida,
a gente vive, depois esquece.
Só o amor volta para brigar,
para perdoar,
amor cachorro bandido trem.

Mas, se não fosse ele, também
que graça que a vida tinha?



MÚSICA: EU SEI QUE EU VOU TE AMAR – VINÍCIUS DE MORAIS

POESIA: SONETO DA FIDELIDADE – VINÍCIUS DE MORAIS
De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.


MÚSICA: AMOR I LOVE YOU – MARISA MONTE

POESIA: O AMOR – LUZINEIDE ARCANJO
O amor vem de mansinho,
Confudindo tudo e borbulhando
Sentimentos fértios,
Ele chega sem avisar,
Transforma seu ser,
E tudo ao seu redor,


As estrelas ilumina sua noite,
O raio de sol torna seu dia iluminado,
Ele é pegajoso e ilusionista,
Quando você acredita que é de verdade,
Ele fala o contrario,

Cai em sí uma tristeza e felicidade,
Tristeza por não ser real,
Por não ser verdadeiro,
Por não ser multiplo,

Felicidade por ter vivido,
Por ter sentido,
Por ter provado pra sí
Que é capaz de amar.



MÚSICA: SINÔNIMO DE AMOR – BRUNO E MARRONE
POESIA: Amor de mãe – Jéssica Beck
O amor de uma mãe,
é tão lindo e profundo,
é um amor imenso,
é o amor maior do mundo...
Nada compra esse amor,
pois ele já é de graça,
é uma obra do senhor,
com ele a dor se despedaça...
Ele manda embora a tristeza,
e traz de volta a alegria,
traz junto consigo a beleza,
e também o mundo da fantasia...
Ele é indescritível,
é bem maior que o céu,
é um amor mais do que incrível,
é doce e puro como mel...

Palestra sobre Matemática




Nesta sexta-feira, 10 de junho, aconteceu uma palestra para os professores de matemática, promovido pelo Jornal Gazeta do Oeste na sede biblioteca pública Ney Pontes, em Mossoró. Com o tema Matemática: compreensão e prática?, o professor e autor de livros didáticos de matemática, Cláudio Marques, levou os professores a refletir sobre as formas de ensinar a disciplina sem que ela se torne um bicho-de-sete-cabeças. Foi uma tarde conversando com os profissionais da área e orientando-os a tornar a matemática mais atrativa, utilizando figuras, textos e música. Participaram do encontro os professores Damião Gondim, Antonio Morais e Simone Matias. Foi muito proveitoso o encontro, no final ficamos querendo mais.